domingo, 26 de setembro de 2010

Little Dog Blues II

    Do dia em que você chegou la em  casa até o dia em que você sumiu, muita coisa aconteceu. Não sei se fui uma boa companheira, mas você, meu amigo, você foi.
    Me desculpe por todos os banhos, mas era necessário. Mais necessário ainda eram os passeios, que costuma adiar. Mas quando a gente passeava era pra valer. Cheguei a decorar os postes e muros que você parava para cheirar. Madruguinha, maroto e malandro. Fazia jus ao nome.
    E da mesma forma que você apareceu, assim do nada, você foi embora. Eu queria muito poder te ver de novo, ser recebida pelo seu fucinho rosa com todo amor que somente os cães sabem transmitir. É muito ruim não saber onde você está agora. Sua ração Pituquinha continua lá em casa, junto aos trapos velhos que você deixou. Quem sabe um dia volte para buscar!
    É Madruga, se você estivesse lá em casa, não cobraria nunca os 14 meses de aluguel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário